Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Written By Cate

Catarina Correia.

Catarina Correia.

Written By Cate

26
Jan18

Para os "bons" condutores!


Catarina Correia

bb.jpg

 Eu não era eu, se viesse discutir sobre passadeiras e não partilhasse estes meninos 

PAREM NAS PASSADEIRAS!

 

Eu não quero saber se vocês estão com pressa, se têm a namorada à espera ou se se acham superiores ao ponto de não seguirem o que está explícito, e mais do que explícito, no código da estrada. Não quero saber se estão atrasados para o trabalho, se são médicos ou se simplesmente decidiram não prestar atenção à via à vossa frente. Eu não quero saber de nada disso, só quero que façam aquilo que vos compete e que tantas dores de cabeça me deu aquando do meu processo de obtenção da dita carta de condução.

 

Se está escrito naquele livrinho que provavelmente vocês nem se deram ao trabalho de ler - e aí eu não vos julgo, porque eu também não li o meu do início ao fim - é para vocês fazerem! Podem até nem ter lido o livro, mas com certeza tiveram aulas de código e outras tantas de condução. Com certeza tiveram um instrutor tão, ou mais, chato do que o meu e que por inúmeras vezes vos parou o carro e questionou se não viram o peão. Mas pronto, mesmo sem ler o livro, mesmo sem um bom instrutor, eu aposto que os vossos pais vos ensinaram a arte do bom senso, certo?

 

Se vocês veem um peão a aproximar-se da passadeira ou um peão a iniciar a travessia, vocês só têm é que PARAR! PARAR! P-A-R-A-R-! Não custa muito raciocinar e perceber que o objetivo é deixar o peão passar, ao invés de passarem por cima dele ou lhe "oferecerem" um ataque cardíaco e um momento sem saber para onde fica o norte. Eu até percebo que queiram dar uma de Vin Diesel ou do falecido Paul Walker em Velocidade Furiosa, mas oh amigos... Vamos lá ter um pouquinho de bom senso. Vamos lá crescer um pouco e perceber que Fast & Furious não passa de mais um filme de ação como tantos outros, "okay"? Vocês não estão em Hollywood, amigos! Mas é que nem de longe, nem de perto! E nem eu, nem os outros milhões de peões por aí espalhados, somos gatos com 7 vidas ou Angelinas Jolies e Johnnys Depps no filme "O Turista" em que eles levam com mil e uma cenas e não morrem nem por nada. 

 

Eu não sei quanto a vocês, mas eu começo a duvidar daquela linda frase que me ensinaram na primária. Aquela frase que diz algo do tipo: "Quem usa a passadeira, vive a vida inteira!". Ouvi esta frase numa daquelas palestras de segurança rodoviária que são dadas nas escolas e, uns tempos depois, quando decidi que queria viver em três séculos distintos - só mesmo porque quero que, no meu funeral, digam algo do tipo: "Nasceu no século XX, trouxe-nos alegria e talento no século XXI e abandonou-nos em pleno século XXII!" - percebi que atravessar nas passadeiras seria meio caminho andando para viver uns 103 ou 104 anos. 

 

Agora? Agora que penso bem, talvez aquela frase seja meio caminho andado para nem sequer chegar aos 30. Começo a ter mais medo de atravessar nas passadeiras do que de correr feita maluca para atravessar a estrada num local inapropriado. E isso é triste!

 

Vocês não têm noção da quantidade de vezes em que, desde que cheguei à Veneza de Portugal, eu vi a vida a passar-me ao lado! Já foram mais as vezes em que quase fui atropelada numa passadeira, do que as vezes em que vi os carros a pararem para eu poder atravessar. Mais ainda, foram as enormes quantidades de asneiras que eu depositei em cada condutor por cada um desses momentos. E, mais uma vez, eu acho isto muito triste!

 

E porque eu já estou cansada de tristezas e o meu computador também já está cansado de levar com os meus textos, eu só quero fazer um último apelo... PAREM NAS PASSADEIRAS, por amor dos anjinhos!

14 comentários

Comentar post